ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Villa Romana de Torre de Palma

cultura_estatuto_profissionais22

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Templo romano de Évora

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Sé de Évora

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Bonecos de São Bento do Cortiço

Castelo de Santiago do Cacém

Castelo da Amieira do Tejo

Jangada de São Torpes

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Sé de Évora

Castro da Cola (Ourique)

 

Villa Romana de S. Cucufate

Gruta do escoural

Castelo de Evoramonte

Sé de Évora

Miróbriga

Miróbriga

Brincas de Évora

cavalo pintado

Castelo de Viana do Alentejo

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Évoramonte

Viola Campaniça

Castelo de Viana do Alentejo

Profs_cultura_estatuto1_banner22

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo da Amieira do Tejo

Villa Romana de Torre de Palma

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Castelo de Belver

Estatuto dos Profissionais da Área da Cultura

Castelo de Arraiolos

Destaques
Imprimir documento


O Baixo Alentejo dos sécs. XVIII e XIX visto por viajantes estrangeiros
22/06/2022
 O Baixo Alentejo dos sécs. XVIII e XIX visto por viajantes estrangeiros

O Baixo Alentejo dos sécs. XVIII e XIX visto por viajantes estrangeiros, um escritor de Albernoa e um político do Monte das Mesas é o título da conferência que será proferida por Carlos Pedro (antropólogo da Direção Regional de Cultura do Alentejo), dia 30 de junho, às 21h30, no Auditório da EDIA, em Beja, com entrada livre.

A iniciativa, insere-se no ciclo de conferências Terra e Paisagens no Sul, organizado pelo Município de Beja, EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, S.A e Direção Regional de Cultura do Alentejo, com o apoio da Associação de Defesa do Património de Beja e da Universidade Sénior de Beja.

A conferência será também transmitida em direto pelo canal do Youtube da empresa EDIA, SA, AQUI.

Resumo:


Nos séculos XVIII e XIX, Portugal foi percorrido por muitos estrangeiros, sobretudo comerciantes, militares e naturalistas. Percorreram o país por razões diferentes, nem todos escreveram sobre o que viram e a maior parte deles não esteve no Baixo Alentejo. Nesta conferência iremos falar sobre os relatos e descrições de alguns destes militares e naturalistas sobre este território e as suas gentes.
A paisagem baixo-alentejana mudou radicalmente entre finais do século XIX e inícios do XX. Sobre esta mudança veremos descrições de Brito Camacho nas suas memórias, e de Manuel Ribeiro, sobretudo na sua obra "Planície Heróica", naturais, respetivamente, do Monte das Mesas em Aljustrel e de Albernoa em Beja e que conheceram muito bem o meio rural sobre que falam.
Iniciaremos esta conferência com a apresentação comentada de uma descrição da envolvente de uma pequena aldeia de entre Castro Verde e Mértola nos inícios do século XVIII.

 

Consulte AQUI o cartaz/flyer.

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Estudo "CULTURA NO PÓS ALENTEJO-2020""Covid@Alentejo, olhares" tem plataforma disponível sobre o projetoPrograma Educação Patrimonial 2022Aromas que nos guiam DRCAlentejo assinala centenário do nascimento de Artur Pastor com exposição Estatuto dos Profissionais da Área da CulturaANTROPOCÉNICA - Propostas para apresentação de comunicações



EMAGENDA

<agosto de 2022>
domsegterquaquisexsáb
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se